Leia as postagens na ordem

Como as postagens estão em uma determinada ordem, peço que leia as postagens conforme a ordem
em que aparecem na barra lateral. Para facilitar as postagens estão numeradas.


Como não sou familiarizada com alguns termos técnicos no campo da pesquisa e como esse é um material extenso,
se alguém detectar um erro de tradução e/ou digitação, fique à vontade para corrigir.


1 - Primeira parte do artigo "Blood Libel, um artigo mostrando a fraude que o "Dr" Cameron é.
2- Primeira parte de uma artigo detalhando os seis erros metodológicos cometidos por ele; Erros #1 e #2.
3- Segunda parte do artigo sobre erros metodológicos; Erro #3.
4- Terceira parte do artigo sobre erros metodológicos; Erro #4.
5- Quarta parte dos erros metodológicos; Erro #5.
6- Quinta parte dos erros metodológicos; Erro #6
7 - Segunda parte do artigo "Blood Libel".

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

7 - Blood Libel ["Libelo de Sangue"] - Parte 2

Feito? Ótimo. Agora eu não preciso dizer que Paul Cameron já sugeriu tatuagens e campos de concentração para pessoas com AIDS. Não preciso dizer que ele pediu que todos os homossexuais fossem registrados pelo governo. Não preciso dizer que ele já se declarou feliz com a AIDS, porque ela livra o mundo de "pervertidos."

Não preciso dizer que Paul Cameron já considerou o extermínio de todos os gays "uma opção viável."

Paul Cameron já devia ser um capítulo encerrado, apenas mais um pesquisador maluco - embora esse seja um osso especialmente duro de roer. Mas Cameron é difícil de neutralizar. Sua "pesquisa" ressurge continuamente na imprensa conservadora. Ele diz as coisas que as pessoas querem ouvir. Ele diz coisas que torna o ódio justificado.

Espero sinceramente que Cameron lhe pareça ridículo a essas alturas. Seus amigos, entretanto, não parecem ridículos, porque os amigos de Cameron constituem a base de poder do atual partido Republicano. Seus amigos parecem sinceros, e piedosos, e muito, muito íntegros. Ainda essa semana [o artigo é de 16 de abril de 2004], o líder da Operação Resgate, Randall Terry citou algumas das estatísticas acima como se fossem números oficiais. Nos últimos anos, Terry tem combatido a homossexualidade. Ele frequentemente chama isso de "suicídio em prestações" e usou Cameron para apoiar as suas alegações. Essa semana ele até mesmo denunciou o seu próprio filho [http://www.beliefnet.com/Faiths/2004/04/Hes-Bringing-Great-Sadness-To-Our-Home.aspx], que se assumiu gay há pouco, e afirmou que o filho não é mais bem vindo em sua casa. Jornais de grande circulação publicaram os comentários de Randall Terry, completando com as falsas estatísticas de Cameron, mas negligenciaram o fato de que todas essas alegações já foram desacreditadas.

O problema não termina aqui. Patrocinado pela direita religiosa o Family Research Institute [http://www.familyresearchinst.org/] continua dando a Camaron espaço para publicar o seu material "revolucionário original". Desse posto avançado, as alegações de Cameron tem se difundido na direita religiosa. Procure bem a origem das declarações de autoridades respeitadas como William Bennett [http://slate.msn.com/?id=2098], ou dos arquivos da American Family Association, e vai descobrir que Paul Cameron é a fonte primária de tudo que a maioria dos conservadores pensam que sabem sobre homossexualidade. Siga as referências que você encontra em publicações anti-gay, e verá que a vasta maioria são derivativas: No final das contas elas não se referem a pesquisas novas, mas retomam o estudo de 1983 de Paul Cameron.

Fato interessante é que o próprio FRI fez o favor de colocar na Web um artigo do New Republic refutando o próprio Cameron [http://www.familyresearchinst.org/2008/12/revisiting-new-republics-attack-on-cameron/]. É outro link que vale a pena conferir.

Por último, eu guardei um petisco suculento para a minha audiência gay: Cameron também exibe um fascínio quase erótico com tudo que seja homossexual. Estranhamente para um hétero, ele descreve o sexo gay como sendo muito melhor que o sexo hétero, e por isso mais perigoso. Este link - http://www.pflagdetroit.org/Holy_War_OnGays.htm - reproduz um artigo da Rolling Stone de 1999 sobre ele, no qual podemos ler um dos argumentos mais interessantes de Cameron. Ele diz em parte o seguinte:

"Tão poderosa é a tentação dos gays, Cameron acredita, que se a sociedade aprovar os gays, mais e mais heterossexuais serão inexoravelmente atraídos para a homossexualidade.. "Estou convencido de que lésbicas são especialmente sedutoras, " diz Cameron."As pessoas na homossexualidade são incrivelmente evangelizadoras," ele acrescenta, soando ele mesmo muito evangelizador. "É pura sexualidade. É quase como heroína pura. É um grande "barato". Eles estão comprometidos de forma quase religiosa. E eles irão assumir enormes riscos, fazer qualquer coisa." Ele diz que para homens e mulheres casados, sexo gay seria irresistível. "Sexo marital tende a se tornar monótono," ele observa. "Geralmente ele não proporciona o tipo de puro prazer que o sexo homossexual dá." Então, Cameron acredita, dentro de algumas gerações a homossexualidade se tornaria a forma dominante de comportamento.

Me deprime mais do que consigo expressar que as falsidades tendenciosas e odiosas desse indivíduo tem tido mais influência sobre o debate sobre os direitos dos gays do que qualquer coisa que eu jamais teria esperado conseguir. Cameron tem sido bem sucedido em repetir uma mentira até que se tornasse a verdade aceita. Agora, quando as pessoas me vêem com o meu parceiro, tudo que eles realmente vêem são as mentiras de Paul Cameron.

O que um historiador faria disso? As descobertas de Cameron, em especial quanto ao abuso infantil, parece muito com a ressurreição de um antigo libelo de sangue [http://en.wikipedia.org/wiki/Blood_libel]. Em um libelo de sangue , um grupo odiado supostamente pratica em segredo uma série de maldades intimamente relacionadas. Acima de tudo, o grupo odiado molesta crianças para satisfazer seus próprios desejos pervertidos. Eles corrompem, molestam, torturam, matam, e até mesmo devoram as crianças indefesas do grupo dominante.

O grupo odiado é imundo, venenoso, fechado, e criminoso. Eles são uma ameaça aos outros e à própria civilização. Em certa época, os Romanos usaram o libelo de sangue contra os cristãos. Depois os cristãos o usaram contra os judeus - numa época tão recente quanto o século 20. Hoje, o libelo de sangue vai contra o único grupo para o qual tais alegações ainda se consegue alguma atenção.

Como sempre, se diz que o grupo odiado não está bem no controle sobre as suas próprias ações, porque um fervor quase religioso os consome. Os motivos alegados para o libelo de sangue estão sujeitos a mudanças, refletindo a demonologia da época. Em tempos antigos, Jesus - um deus estrangeiro e subversivo - obrigou os cristãos a agir assim. Na Idade Média, o Diabo obrigou os Judeus a agir assim. Hoje, o "barato heroínico" do sexo gay é o culpado. Mas em todos os casos, o grupo odiado atrai filhos de seus pais e comete crimes horríveis contra eles.

A única solução - a solução final - é destruir o grupo em si.

Depois de ter tomado conhecimento do libelo de sangue, é difícil se livrar dele. Ele jaz logo abaixo da superfície da sua mente. Não importa quantos gays "bons", ou judeus "bons", ou cristãos "bons" você conhece. O libelo de sangue é tão chocante que é difícil deixá-lo de lado. Ninguém quer arriscar quando se trata de algo assim, e as nossas dúvidas permitem que os Paul Cameron do mundo continuem o seu trabalho...

Eu não sei como exorcisar esse demônio. Ele está conosco há milhares de anos, e muito provavelmente vai continuar por aí para dançar malignamente no meu túmulo. Mas mesmo o simples ato de reconhecer e lembrar pode ajudar de alguma forma; diagnosticar uma doença geralmente é o primeiro passo para tratá-la. Vale a pena lembrar, então, que não apenas o libelo de sangue foi usado no passado, mas provavelmente foi usado contra o seu gripo também. E agora está sendo usado novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário